Desde os primórdios do cinema, os monstros têm sido presença frequente nas telonas. Dos clássicos como Frankenstein e Drácula de 1931, até filmes mais recentes como Godzilla e Cloverfield, as criaturas sempre estiveram presentes em nossas mentes. Desde a infância temos contato com esses seres que despertam em nós sentimentos de medo, terror e fascínio. Neste artigo, vamos explorar os monstros mais queridos do cinema, analisando o que os torna tão fascinantes e por que são tão amados pelos espectadores.

Qual o nosso monstro favorito? Essa é uma pergunta difícil de responder, mas podemos começar olhando para os personagens que mais atraem a nossa imaginação. É verdade que existem monstros que realmente assustam, mas outros capturam nossa atenção por sua beleza, suas habilidades ou por sua personalidade única. Os monstros são um reflexo da nossa própria humanidade, revelando nossos desejos, medos e anseios. Eles são criaturas que, apesar de serem diferentes de nós, se mostram capazes de sentimentos e emoções. São personagens que podem oferecer uma nova perspectiva sobre a vida e também ajudar a conectar com os nossos próprios sentimentos.

Muitos monstros são incrivelmente divertidos. Eles nos fazem rir de medo, nos provocam risadas nervosas, ou simplesmente nos proporcionam momentos de diversão. Personagens como o monstrinho Sulley de “Monstros SA”, ou o enorme Gorila Kong, de “King Kong”, encantam os espectadores, mesmo quando estão em momentos de perigo ou caos. Por outro lado, monstros como a criatura de “Alien” ou o Predador hábil em matar, nos desafiam por sua inteligência e ferocidade, mantendo-nos tensos e alertas.

Mas o que é que torna um monstro tão marcante no cinema? Existem as criaturas cujas características físicas são simplesmente impressionantes. Os monstros da franquia “Jurassic Park”, por exemplo, são inesquecíveis pela grandiosidade, pelas escamas, dentes afiados e pelas garras poderosas que intimidam quem os vê. As habilidades sobrenaturais de seres como o vampiro Drácula, ou a invulnerabilidade do indestrutível Freddy Krueger, também ajudam a marcar esses personagens como inesquecíveis.

Muitos dos nossos monstros favoritos são respeitados pela sua capacidade de expressar emoções que se assemelham às nossas. Quando nos deparamos com uma criatura como o Frankenstein, vemos refletido ali a busca pelo amor e o desejo de ser compreendido. O simpático extraterrestre E.T., de “E.T. O Extra Terrestre” captura nossa empatia e simpatia pelos seus olhos cheios de amizade, quando se mostra capaz de sentir medo ou segurança.

Monstros podem ser heróis ou vilões, de formas variadas e muitas vezes surpreendentes. Alguns, como o Lobisomem, são amaldiçoados e lutam constantemente contra sua própria essência demoníaca. Outros, mais incomuns, como o monstro de “A Forma da Água” podem ser redimidos pelo poder do amor. A complexidade de suas histórias cativam nossa imaginação e despertam em nós os mais variados sentimentos.

Em resumo, os monstros sempre tiveram um papel importante no cinema, desde os clássicos do horror aos filmes mais lúdicos. Como personagens tão inesquecíveis, oferecem uma grande variedade de emoções, experiências e enredos. Deixando nossos sentimentos aflorar e nossa imaginação voar, essas criaturas deixam registradas lembranças inesquecíveis na mente de quem os assiste. Assim é o amor pelo monstro favorito de cada um, um sentimento que vem de muito antes do primeiro susto e vai além de qualquer medo, fascinando e divertindo para sempre.